(31) 4063-9493 | 3146-9493     [email protected]

    • (31) 99725-4404

Substância orgânica ou inorgânica? A aplicação prática em HO

inorgânicas

Por:João Vitor
Sem categoria

18

jun 2021

O entendimento da natureza das substâncias químicas é fundamental para aplicação da Higiene Ocupacional. Saber se uma substância é orgânica ou inorgânica faz total diferença na hora de lidar com os riscos químicos 

 

Ainda não te convenci? Acompanhe este artigo! 

 

Não se esqueça de curtir a nossa FanPage e ficar por dentro de todas as dicas e novidades!       

 

Todas as terças-feiras às 19h temos nossas aulas gratuitas sobre temas que irão facilitar a avaliação de Agentes Químicos para Higiene Ocupacional. Um conteúdo técnico e direcionado da área. Toda semana um assunto novo. Aproveite e se inscreva para a nossa live da próxima semana,  clique aqui  e garanta a sua vaga! 

 

Para facilitar o estudo da química e, consequentemente, o gerenciamento dos riscos químicos, os agentes são divididos em diferentes classes sendo duas delas as de compostos orgânicos e inorgânicos. O primeiro grupo trata da química do carbono, já o segundo se preocupa com as substâncias de origem mineral. Mas o que isso tem a ver com Higiene Ocupacional? 

 

Parâmetros de exposição ocupacional para agentes químicos 

 

Os limites de exposição ocupacional para os agentes químicos são parâmetros de comparação em que se acredita que a maioria das pessoas, caso estejam expostas abaixo daquele valor, não vão ter nenhum tipo de adoecimento ou mal estar ocasionados por esta exposição. No entanto, nem todos os limites de exposição são específicos e você já deve ter observado limites para alguns grupos de substâncias, como por exemplo: 

  • Cromo, e compostos inorgânicos; 
  • Borato, compostos inorgânicos; 
  • Chumbo, e compostos inorgânicos, como Pb; 
  • Compostos orgânicos como Estanho. 

 

A lista é longa! E o correto reconhecimento e enquadramento dos agentes depende da natureza orgânica ou inorgânica das substâncias químicas.  

A NR15 em seus Anexos 11 e 13, também traz agentes que destacam a importância deste entendimento. No Anexo 11, temos, por exemplo:  

 

 

Já no Anexo 13, a NR15 indica de forma qualitativa que a fabricação e manipulação de compostos orgânicos de mercúrio configura uma condição de insalubridade em seu grau máximo.


Em resumo, 
o Higienista Ocupacional ao realizar o gerenciamento das exposições aos agentes químicos terá que entender se uma substância é orgânica ou inorgânica, uma vez que alguns limites de exposição ocupacional estabelecidos nas nossas normas regulamentadoras, como a NR15 ou a NR9, que traz consigo a ACGIH, dependem deste conceito. Já no Anexo 13, a NR15 indica de forma qualitativa que a fabricação e manipulação de 
compostos orgânicos de mercúrio configura uma condição de insalubridade em seu grau máximo. 

 

Como diferenciar uma substância orgânica de inorgânica? 

 

A principal diferença entre os compostos orgânicos e inorgânicos está na presença do carbono. Compostos orgânicos, em geral, possuem carbono (C) em sua estrutura, enquanto os inorgânicos, não possuem este elemento. Algumas exceções comuns são: os gases monóxido de carbono (CO) de dióxido de carbono (CO2). Ambos possuem carbono em sua molécula, mas são compostos inorgânicos.  

 

A Analytics Brasil além de realizar análises químicas para higiene ocupacional, atentando aos melhores métodos de amostragem de acordo com as necessidades de sua empresa, orientando quanto ao melhor tipo de amostragem, também realiza serviços de assessoria e consultoria em higiene ocupacional, além de oferecer cursos e palestras sobre reconhecimento e avaliação de agentes químicos para higiene ocupacional. Contate-nos e saiba mais! 

 

Quer complementar o assunto? Assista a aula abaixo: 

 

Inscreva-se em nosso canal do Youtube clicando aqui. 


Compartilhe:

Av. Bernardo Monteiro, 971 - 10 andar, Funcionários - Belo Horizonte /MG

(31) 4063-9493 | 3146-9493

(31) 99725-4404

[email protected]