(31) 4063-9493 | 3146-9493     [email protected]

    • (31) 99725-4404

Os segredos das análises de sílica cristalina

Por:Analytics Brasil
Análises Químicas | Higiene Ocupacional

28

fev 2019

No artigo de hoje vamos falar sobre os métodos disponíveis de análise de sílica. Existem dois métodos principais de análise de sílica, um por infravermelho e outro por difração de raios-x. Entenda porque um método tem melhor custo benefício do que o outro e as diferenças entre os métodos de análise. Acompanhe!

Não esqueça de curtir a nossa FanPage e ficar por dentro de todas as dicas e novidades!

Método por Infravermelho

O Infravermelho é uma técnica que mede a interação das moléculas, no caso específico da sílica, formada por dióxido de silício (um dos minerais mais abundantes do planeta). Essa substância pode estar presente nas formas cristalina e amorfa. Um átomo de silício central é ligado a dois átomos de oxigênio. A técnica de infravermelho mede a interação entre o silício e o oxigênio, não distinguindo se o material é cristalino ou amorfo.

Método por Difração de Raios-x

Tome muito cuidado com o método que irá utilizar. O método de difração é mais indicado, pois é o único capaz de detectar apenas a sílica cristalina, que de acordo com a ACGIH refere-se ao quartzo e a cristobalita. E de acordo com o método 7500, quartzo, cristobalita e tridimita.

A maioria das amostras de ocorrência natural possuem tanto a sílica amorfa quanto silicatos que podem interferir nos resultados das amostras se utilizado o método de infravermelho. Podemos citar um exemplo de um dos nossos clientes, em que uma amostra de poeira mineral continha 40% de sílica de acordo com o método de infravermelho e ao usar o método de difração foi registrado somente 1% de sílica cristalina.

O método mais específico para determinação da fração cristalina é utilizando a difração de raios-x. Por meio deste método é possível detectar a quantidade de deste mineral presente no ar com eficiência, a partir de informações detalhadas sobre a estrutura do cristal de sílica.

A sílica cristalina possui arranjos de silício e oxigênio muito bem organizados no espaço e por isso possuem propriedades distintas da sílica amorfa, incluindo a toxicidade. Ao usar o método de difração de raio x, apenas a quantidade de sílica cristalina é quantificada.

Qual a diferença de preços entre as análises?

No método de difração de raios-x é necessário um equipamento mais caro para a análise, que custa em torno de 250 mil dólares. Enquanto no método de infravermelho, o equipamento mais avançado do mercado chega a 80 mil reais.

Para aplicar o método 7500 corretamente é preciso utilizar um filtro de prata 99%, que custa em torno de 80 reais para cada amostra, mas é um método que oferece garantia de resultado e que não terá margem de dúvidas sobre a conclusão de insalubridade e sobre a exposição dos trabalhadores.

Antes de escolher o laboratório para realizar a análise de sílica cristalina na sua empresa, é importante confirmar se o laboratório possui a acreditação AIHA, uma certificação da Associação Norte-Americana de Higiene Industrial que é um diferencial e atesta a comprovação da qualidade do método internacionalmente. A acreditação AIHA agrega mais valor à higiene ocupacional.

Entre em contato com a gente e solicite a sua análise de sílica cristalina. Para saber mais sobre reconhecimento de riscos e sobre Higiene Ocupacional não deixe de curtir as redes sociais da Analytics Brasil!

Confira o vídeo completo, disponível no Youtube sobre Os segredos das análises de sílica cristalina.


Compartilhe:

Av. Bernardo Monteiro, 971 - 10 andar, Funcionários - Belo Horizonte /MG

(31) 4063-9493 | 3146-9493

(31) 99725-4404

[email protected]